Dá-nos a tua opinião sobre o filme Amanhecer-Parte 1 AQUI.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A New Beginning, Capítulo 1

Capitulo 1

Mais um dia belo de Verão e eu fechada em casa, estamos no final de Junho, a escola acabou a cerca de duas semanas. Acho que estou um pouco sedentária (o que não é normal mesmo), não me apetece sair da cama, e se saio enfio-me no sofá a ver uma catrefada de filmes ou a ouvir musica, quase não dou pelo tempo passar. Durante este tempo todo nem na minha viola toquei. Pois é, sou rapariga, com 17 anos e fechada em casa, não tenho vontade de ver ninguém especialmente desde os acontecimentos passados. Não sei como ele foi capaz de fazer aquilo, no final de contas os rapazes são todos iguais.
Tudo se passou numa festa em casa da Katy, para festejar o final de mais um ano lectivo, a minha melhor amiga ou pelo menos o era pensava eu. Estava com o meu namorado o Peter pensando que tudo estava às mil maravilhas, eu amava-o.
Chegámos a casa da Kat, e fui logo recebida por um enorme abraço.
-Olá best, ainda bem que vieste – disse-me a Katy, com uma alegria fantástica.
-Obrigaste-me a vir lembraste, imploraste-me…?
- Pois. E trouxeste o Peter, melhor ainda vamo-nos divertir.
-Oi! – foi tudo o que ele disse, parecia envergonhado e admirado o que não é normal.
-Até já, vou fazer a ronda e ver se não partiram as loiças da minha mãe, ela matava-me. - E virou costas, acenando em modo de adeus.
-Desculpa amor, mas sabes como a Katy é, faz aquele olhar e consegue tudo o que quer. – Disse-lhe a fazer o beicinho.
- Maddie, como o olhar que me estás a fazer agora? – E beijou-me.
O tempo foi passando, dançamos, bebemos, divertimo-nos a noite estava linda. Nada podia estragar aquela noite. Estávamos os dois na varanda a ver as estrelas, o céu estava perfeitamente limpo naquela noite, maravilhoso, era a palavra que me vinha à cabeça. Eu e o Peter estávamos abraçadinhos, apesar do calor, provavelmente eram apenas os nossos corpos a aquecerem-se mutuamente. Nisto ele levantou-se, e disse:
-Vou buscar mais uma cerveja.
-Ok, eu fico aqui na varanda, e traz-me também qualquer coisa para beber, tenho sede e está muito calor. – Deu-me um beijo na testa e foi à zona das bebidas.
Tinha passado algum tempo e ele não voltava, fui para ir à casa-de –banho do piso de baixo mas tinha lá gente, então fui à do quarto da Katy, conheço a casa como ninguém afinal passo cá muito tempo. Precisava de molhar a cara estava com calor e a ficar com dor de cabeça. Quando abro a porta do quarto, estava a Katy com um rapaz, que olhou para mim, foi ai que lhe vi a cara, era o Peter.
-Maddie? – disseram os dois ao mesmo tempo.
-Peter! Katy! – foi tudo o que consegui dizer, tentei me mexer e sair dali mas os meus pés não se mexiam. Peter vestiu a camisola e saltou da cama para vir ter comigo à porta. Colocou as suas mãos nas minhas bochechas, mas afeitei-o.
-Amor, isto não é bem…
-O que parece. É o que me vens dizer? E logo com a Kat só podem estar a brincar, nunca mais vos quero ver, aos dois. – não o deixei acabar o que ia a dizer, e sai dali a correr. Para não mostrar que estava a chorar, não queria mostrar parte fraca, não agora.
Ao sair do quarto e descer as escadas nem olhei em frente, fui de encontra o meu primo. Ele é apenas um ano mais velho que eu, chumbou um ano na escola, então estamos na mesma turma e saímos com as mesmas pessoas, é o meu melhor amigo. Ele viu que eu estava a chorar.
-Maddie, que se passou? – perguntou.
-Leva-me para casa. – foi o que consegui dizer, e desatei a correr porta fora.
-Está bem, mas contas-me pelo caminho.
Estávamos agora a caminho da casa dele, eu não conseguia parar de chorar, por isso não fomos para minha casa, não conseguiria suportar as perguntas da minha mãe. Ela só ia dizer eu avisei-te, eu não gostava dele. Blá blá blá… agora quem me dera ter-lhe dado ouvidos.
-Prima que se passou, estavas tão bem à bocado com o Peter.
-Não me fales nesse estúpido, horroroso, odeio-o nunca mais o quero ver … - Andrew, parou o carro de repente. Fazendo-me parar de falar.
-O que é que ele te fez, volto a trás e resolvo isto com ele.
-NÃO! Só quero ir para casa, agora.
-Mas o que se passou? Ele tentou alguma coisa contigo? – perguntou-me preocupado. – Aquele estúpido bateu-te, o que ele te fez, Madison?
-Encontrei-o com a Katy. – só de pensar novamente no que se passou à instantes atrás, comecei a chorar ainda mais.
-Encontraste-os como?...Não me estás a querer dizer que eles os dois… - não acabou a frase.
-Sim. – foi tudo o que consegui dizer. E ele voltou a arrancar com o carro.
-Vamos para casa.
Quando chegámos a casa da minha tia estavam já todos a dormir, e ainda bem. Andy levou-me para o quarto dele, e deitei-me na sua cama.
-Vou mandar mensagem à tua mãe para ela não ficar preocupada, digo-lhe que vais passar aqui a noite.
-Não lhe digas porquê, sabes que ela vai ficar toda histérica.
-Está bem digo-lhe que vamos continuar a festa em minha casa, como quando éramos mais novos e fazíamos birra para nos deixarem passar a noite acordados. Mas sem a parte da birra, está bem, já somos crescidinhos e isso iria estragar a minha reputação.
-Ok, obrigado. E não te preocupes com a tua reputação, não é lá muito famosa. – só ele me consegue fazer rir nos meu piores momentos.
-Não gostei dessa, mas desta vez estás perdoada. Vou só buscar o telemóvel e já volto. – saiu do quarto.


(O que acharam do primeiro capítulo? A autora fica à espera de opiniões)

4 comentários:

carolina disse...

Esta muito giro...

Anónimo disse...

eu gostei muito. escreves muito bem !!! quero saber o que vai acontecer a seguir.
Beijos
Matilde

guidinharp_the best disse...

olá eu gostei muito da tua fanfic espero que continues a escrever

guidinharp_the best disse...

eu gostei muito escreves muito bem continua assim
bjx guidinharp