Dá-nos a tua opinião sobre o filme Amanhecer-Parte 1 AQUI.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A Cura - 15º Capítulo

Comentem!
A Manuca agradece!
bjs


15º Capítulo - Capitulo Especial Narrado por Jacob Black.

Sinto uma mão em meu ombro,me balançando e quando abro os olhos vejo que é a minha mãe.

-O que está?-Pergunta e quando vê a pessoa atrás de mim,me lança um sorriso.-Vou avisar aos pais dela.-Disse se retirando do quarto.

Respirei aliviado,olho para o relógio e são oito horas da noite,acho que devo acordá-la.

Passo a mão em seu rosto delicadamente,quero sentir sua pele,mesmo que talvez seja errado isso.

Não consigo não sorri com isso.

Ela abre os olhos e se levanta coçando o olho.

-Que horas são?-Pergunta.

-São oito horas da noite.-Digo e ela da um pulo da minha cama.

-Preciso ir.-Diz tentando se ajeitar.

-Tem mesmo?-Não quero que ela saia de perto de mim,assim tão fácil,mas tudo bem.

Não depois de ouvir que ela também me ama.

-Tenho sim,meus pais podem estar preocupados.-Diz se afastando de mim.

-Claro,claro.-Digo casualmente.

-Então tchau.-Diz indo em direção a porta do quarto.

-Nos vemos amanhã?-Pergunto e ela se vira dizendo sim com o rosto.

Quando ela sai do meu quarto,eu me atiro em minha cama e fecho os olhos respirando fundo o doce cheiro dela.

Acabei adormecendo sem comer absolutamente nada.

Parecendo um babaca por causa do que ouvi,mas um babaca apaixonado e graças a Deus correspondido.

Acordo sedo e tomo um banho super rápido.

Acabei com o café da manhã e minha mãe rindo da minha cara de besta,que maravilha,não só sou eu que me esculhambo ela também.

Só para ter certeza que a MINHA Nessie vai para o colégio eu ligo para a casa dela.

-Alo.-Disse o seu Edward,aparentemente ele estava chorando.

-Alo é o Jacob,queria saber se a Nessie vai ao colégio.-Pergunto.

-Ela vai sim.-Disse desligando o telefone em seguida.

Bom acho que atrapalhei alguma coisa.

Será que a Nessie teve algum problema?

Não por que se houvesse a minha mãe teria sido avisada,então tentei me tranqüilizar e fui para a escola,quando cheguei nada dela.

Fico encostado com Quill na minha moto,tentando conversar sobre qualquer coisa que não seja ela,foi então que Quill me apontou para Nessie.

Ela estava diferente,arrumada, uma regata branca,um colete azul e minha calça Jens,seus lindos cabelos soltos.

Tava linda.

Abro um enorme sorriso e caminho até ela.

Será que ela mudou desse jeito por minha causa?

Espero que sim,porém é melhor previne.

-Bom dia.-Disse ainda com uma certa distancia.

Ficamos andando lado a lado,até que ela se aproxima e entrelaça as nossas mãos,a encaro sorrindo e ela retribui o sorriso.

Estou me sentindo o cara mais feliz e realizado do mundo.

Chegamos na sala e todos nos encaram,a maioria sorrindo,pelo menos os meus amigos e amigas,porque a Jane só falta pular no pescoço da Renesmee.

Nos sentamos no fundo e eu em vez de ficar na sua frente,fica ao seu lado.

Ela encosta a cabeça em meu ombro e eu fico brincando com seus dedos.

-O que ta rolando entre agente?-Pergunto.

-O que você quer que role?-Pergunta.

-Eu quero namorar você.-Digo dando de ombros.-Não é novidade para ninguém isso.-Digo a encarando,com o coração na mão.

-Então estamos namorando.-Eu quero pular e fazer a dançinha da vitória.

-Jura?-Pergunto.

-Juro.-Ela diz e como resposta abro um enorme sorriso e ela faz o mesmo.

O professor entra na sala e mesmo querendo ouvir alguma coisa sobre a Revolução Francesa,não consigo,já que Nessie toma todas as minhas atenções.

Eu não sei nada do assunto.

-Senhorita Cullen.-Disse me chamando.

-Sim professor.-Diz ainda com a cabeça encostada no meu ombro.

-Como era a assembléia constituinte na era Napoleônica?-Pergunta.

-“Os deputados dos três estados eram unânimes em um ponto: desejavam limitar o poder real, à semelhança do que se passava na vizinha Inglaterra e que igualmente tinha sido assegurado pelos norte-americanos nas suas constituições. No dia 5 de maio, o rei mandou abrir a sessão inaugural dos Estados Gerais e, em seu discurso, advertiu que não se deveria tratar de política, isto é, da limitação do poder real, mas apenas da reorganização financeira do reino e do sistema tributário.O clero e a nobreza tentaram diversas manobras para conter o ímpeto reformista do Terceiro Estado, cujos representantes comparecem à Assembléia apresentando as reclamações do povo (materializadas nos "Cahiers de Doléances"). Os deputados da nobreza e do clero queriam que as eleições fossem por estado (clero, um voto; nobreza, um voto; povo, um voto), pois assim, já que clero e a nobreza comungavam os mesmos interesses, garantiriam seus privilégios.O terceiro estado queria que a votação fosse individual, por deputado, porque, contando com votos do baixo clero e da nobreza liberal, conseguiria reformar o sistema tributário do reino. Ante a impossibilidade de conciliar tais interesses, Luís XVI tentou dissolver os Estados Gerais, impedindo a entrada dos deputados na sala das sessões. Os representantes do Terceiro Estado rebelaram-se e invadiram a sala do jogo da péla (espécie de tênis em quadra coberta), em 15 de junho de 1789, e transformaram-se na Assembléia Nacional, jurando só se separar após a votação de uma constituição para a França (Juramento da Sala do Jogo da Péla). Em 9 de julho de 1789, juntamente com muitos deputados do baixo clero, os Estados Gerais autoproclamaram-se Assembleia Nacional Constituinte.Essa decisão levou o rei a tomar medidas mais drásticas, entre as quais a demissão do ministro Jacques Necker, conhecido por suas posições reformistas. Em razão disso, a população de Paris se mobilizou e tomou as ruas da cidade. Os ânimos mais exaltados conclamavam todos a tomar as armas.O rei decidiu reagir fechando a Assembléia, mas foi impedido por uma sublevação popular em Paris, reproduzida a seguir em outras cidades e no campo.”-Diz olhando para a sua expressão de bobo.

-Que bom que estava prestando atenção.-Disse totalmente sem jeito.

Fiquei impressionado com ela,são poucas pessoas que conseguem deixar esse professor assim e ainda bem que ele não perguntou para mim,se não estaria ferrado.

Aula passou voando,ao lado de Nessie tudo fica bom.

Estamos na hora do almoço e eu não solto a mão de Renesmee de jeito nenhum,sei lá daqui a pouco ela se arrepende e fica longe de mim,outra vez.

-Quer se juntar aos meus amigos?-Pergunto.

Respira fundo.

-Ta bem.-Diz dando de ombro e fomos para a mesa.

A maioria ficou olhando para ela depois de algum tempo,as meninas ficaram junto de dela e começaram a cochichar sobre um show de talentos que o colégio está promovendo.

A encarei,porém não falei nada.

Ela é talentosa poderia participar.

A hora do almoço acabou e voltamos para a sala de aula e eu continuo grudado com ela.

-Jake.-Me chama.

-Sim?-Pergunta.

-Por que não fica com seus amigos um pouco?-Diz como quando era pequena.

-Prefiro ficar com você.-Digo a abraçando e beijando sua testa.

-Não pode ficar somente perto de mim Jake.-Diz encarando os meus olhos.

-Pelo menos por enquanto posso sim.-Digo e ela não discuti comigo,bom sinal.

Se eu pudesse ficaria vinte e quatro horas direto com ela,porém não posso.

Ainda.

A aula acabou e fomos de mãos dadas até o estacionamento.

-Quer carona?-Pergunto apontando para a minha moto,não gosto dela para cima e para baixo a pé.

-De moto?-Pergunta.

-Claro,acha mesmo que vou deixar a minha namorada vir andando todos os dias para a escola?-Pergunto com as sobrancelhas erguidas.

-Está bem.-Diz pegando o capacete da minha mão.

Monto e a ajudo a fazer o mesmo,trava na hora de passar a mão na minha cintura,porém relaxa e o faz.

Vamos direto para a sua casa,porém numa velocidade absurdamente lenta,que quero curtir todos os momentos que posso com ela.

Chegamos na casa de Nessie e estava com um monte de carros estacionados.

Acho que ela tem visitas hoje.

-Acho melhor eu ir.-Digo..

-Não vêem comigo.-Diz pegando minha mão.

-Tem certeza?-Pergunto.

-Claro.-Diz com um meio sorriso.

-Ta.-Desmontei da moto e fomos de mãos dadas para a sua casa.

Quando entramos percebo que todos os seus familiares estavam lá,seus avos de ambas as partes e seus tios e tias,da parte de seu pai.

Todos a encarando,como se estivessem visto um fantasma.

-Não acredito que já está agarrada com o Black.-Começou o histerismo a tia loira de Nessie.

Rolei os olhos e continuei de mãos dadas com a minha namorada.

-Minhas querida sobrinha pensei que tinha evoluído com suas amizades.-Disse Rose.

Me deixando muito puto da vida,ela sempre teve ciúmes de mim,nem sei por que,acho que sei.

Nessie sempre preferiu ficar comigo do que com ela.

-Tia para com isso.-Diz colocando a sua mochila no sofá.

-Podemos te abraçar?-Pergunta Emmett.

Respirou fundo e olhei para mim.

-Vá em frente,tente.-Encorajei.

Respirou fundo novamente e ficou de frente e se abraçaram,mesmo sabendo que ela está com um pouco de medo dele.

-Senti sua falta mostrinha.-Disse beijando a sua testa.

-Eu também ursão.-Diz e ele a soltou de vez.

Ficamos conversando durante algum tempo e percebo que todos estão vigiando ela,observando ela.

O avo dela o chefe de policia me chamou no canto.

-Nada de correr de moto com ela nas estradas.-Advertiu.

-Claro,claro.-Disse arregalando os olhos.

Vou ter de parar de fugir da policia,virar um cara direito.

Não que eu não seja direito,é que eu gostava de aprontar as minhas sabe?

Foi então que Nessie e dona Bella saíram da sala e depois de alguns minutos voltaram.

-Gente eu tenho que sair.-Diz e no mesmo instante me coloco de pé.

-Não acredito que vai nos deixar por causa dele.-Diz apontando para mim,que simplesmente respirei fundo.

-Tia para de implicar com o meu namorado.-Bateu o pé e ela arregalou os olhos.

-Não acredito.-Diz arregalando os olhos.

-Acredite.-Diz e eu entrelaço as nossas mãos.-Só que não é por causa dele,não dessa vez.-Diz suspirando.-Vou ter consulta agora.-Diz e eles concordaram.

-Não acha melhor ir para uma outra psicóloga?-Pergunta Carlisle.

-Não a Sarah é ótima,gosto de me abrir com ela.-Falou cortando ele.

-Claro.-Disse sério.

-Então to indo.-Diz e eles concordaram.

A levo até minha moto e vamos até a minha casa.

Quando chegamos minha mãe já nos aguardava,com aquele sorriso lindo nos lábios.

-Estava lhe aguardando.-Disse se levantando.

As duas foram para o escritório de minha mãe e meu pai me chamou.

Sei bem o que ele quer tratar comigo,ele vai reclamar pois estou sendo muito relapso com o meu trabalho e só pensando em Nessie.

-Eu sei o que quer.-Disse me encostando na bancada.-Sei quer estou em falta com o meu trabalho.-Digo e ele concorda com isso.

-Que bom que sabe.-Disse seriamente.-Já que está consciente disso terá que ir para Seattle para fazer as compras e os acertos para a oficina.-E quando eu ia reclamar.-Nem reclame,se assim não o fizer está demitido.-Foi curto e grosso.

E saio da cozinha.

Fui tomar um banho e fiquei esperando pelo meu amor na sala,pensando em como vou contar isso a ela,olhando para o teto,talvez deus me ajude.

Ouço ela se aproximando,porém não me mexo.

-Jake?-Chama e eu continuo quieto.

Se aproxima e passa a mão em minha frente a puxando para meu colo sorrindo e a fazendo gritar.

-Se me assustou.-Diz batendo em meu ombro.

-Eu sei.-Fiquei fazendo cócegas nela a fazendo chorar de ri.

-Para Jake,por favor.-Implorou,porém eu não parei,só intensificou as cócegas,deixando nossos rostos colados,parei o que estava fazendo e fiquei encarando os seus olhos,seus lindos olhos azuis brilhando.

Sua respiração está alterada e o meu coração parece que vai sair pela boca.

Nossos rostos se aproximando,se aproximando até que nossos lábios se encontraram.

Seus delicados e rosados lábios,se movendo numa sincronia incrível,minhas mãos foram escorrendo para os seus cabelos me puxando para mais perto de mim.

Nossos corpos completamente colados o que não me deixa ficar nem um pouco controlado,acho que ela percebeu,por que foi afastando os seus lábios dos meus.

-Desculpe.-Disse olhando em seus olhos e ela se levanta.

-Tudo bem Jake.-Diz sem jeito.

A olhei desconfiado,porém ela lançou um sorriso que acabou aquietando o meu coração.

-Tudo bem mesmo?-Digo me aproximando.

Ela ficou parada encarando os meus olhos.

-Está sim.-Diz sorrindo.

-Eu tenho que me controlar mais.-Digo cerrando os punhos.

-Calma,você é normal.-Diz alisando o meu rosto.-Eu é que não sou.-Ainda encarando os meus olhos.

-Você é normal sim.-Digo colocando as mãos em seu rosto sustentando o seu olhar.-Eu te amo,por favor não se menos preze por causa daquele miserável.-Não quero que ela fique desse jeito por causa dele,eu estou aqui,eu quero amá-la incondicionalmente.

-Ele roubou a minha oportunidade de me entregar a alguém por amor Jake.-Diz suspirando.-De me entregar a você por amor.-Diz e eu suspiro.

O piro disso tudo é saber que ela era virgem,só que a revelação dela agora me deixou completamente desarmado.

Ela se entregaria a mim?

-Você me ama?-Pergunto.

Eu quero ouvir mais uma vez da sua boca,só que dessa vez olhando em meus olhos.

-Te amo Jake.-Diz e eu tomo seus lábios.

Meu beijo está urgente e controlado ao mesmo tempo,quero demonstrar todo o meu amor e ao mesmo tempo não estragar a minha oportunidade com ela.

Fui me afastando de dela aos poucos e passando a mão em seus cabelos de forma carinhosa.

Estou acariciando seus rosto de olhos fechados tentando gravar o momento.

Quando se ouve da pessoa que nos amamos que somos correspondidos é como se agente fosse para o céu inúmeras vezes.

E eu quero ir de novo.

-Repete.-Digo todo manhoso.

-Eu te amo.-Diz perto do meu ouvido e meu sorriso se alargou.

-Não sabe quanto tempo eu esperei para ouvir isso.-Digo abrindo os olhos,porém eu tenho que contar que vamos ficar um tempo separados,pelo menos durante essa semana.

-O que foi?-Pergunta passando a mão em meu rosto.

-Nada.-Digo me aproximando ainda mais dela, colando nossos corpos.

-Eu preciso ir.-Diz e eu concordo com o rosto.

-Eu sei.-Digo triste.

-O que está acontecendo?-Pergunta.

-Vou ter de fazer uma viagem rápida para Seattle.-Digo suspirando.-Volto em uma semana.-Diz e ela respirou fundo.

-Não gostei disso.-Diz fazendo bico.

-Muito menos eu.-Falei dando de ombros.-Mas tenho que comprar umas peças para o meu pai,para a oficina.-Digo e ela respirou fundo.

-Vai amanhã?-Pergunta.

-Isso mesmo e volto,o mais rápido possível.-Digo.

-Eu sei.-Falou suspirando.

-Você vai ficar bem?-Pergunto.

-Vou sim.-Disse mentindo.

Ela sempre foi péssima mentirosa.

-Não gostei desse tom.-Digo fazendo careta.

-Sério,vou ficar bem.-Falou e eu meio hesitante concordei com o rosto.-Tem ligo todos os dias.-Digo e ela confirmei com o rosto.

-Espero que sim,vou ficar com saudades.-Diz fazendo bico e eu tomo seus lábios de forma selvagem,já morrendo de saudades.

Prendendo meus dedos em volta dos seus cabelos e a puxando para mais perto de mim,a deixando completamente mole em meus braços,porém sei que ela não está pronta e vou me afastando.

-Tem de ir.-Digo tentando me controlar.

-Ta.-Me deu um selinho.

-Quer que eu te leve?-Pergunto.

-Não precisa não.-Diz e foi para casa.

Fui dormi sedo e acordei mais sedo ainda.

A minha viagem para Seattle foi um martírio.

Não conseguia dormi,pensando em como Renesmee estava e ao mesmo tempo morrendo de saudades dela.

Pelo que sua mãe e Leah me disseram,ela não está dormindo direito,queria se afastar das pessoas e a hora mais feliz do dia dela é quando eu ligo.

Tentei arrancar alguma coisa da minha mãe,porém ela me disse que não pode falar nada o que se passa nas seções,por causa do sigilo medico.

Isso é uma merda.

Não que não seja a minha hora mais feliz,porém estou com medo que ela faça uma besteira,mesmo sabendo que todos estavam tentando tapar o buraco da minha ausência.

Eu estou me sentindo presunçoso,agora.

Acabei dando inúmeros puxões de orelha nela por telefone,mas não adiantaram muita coisa.

Por isso fiz tudo o que tinha que fazer em menos de uma semana e fui correndo para a sua casa.

Quando cheguei.

-Oi Jake,pensei que só chegaria amanhã.-Disse dona Bella.

-É consegue vir mais sedo,posso ver a Nessie?-Pergunto.

-Claro,ela ta no quarto dela.-Disse sorrindo.

-Posso?-Pergunto.

-Claro.-Disse e fui subindo as escadas.

Ouço um toque de violão e aumento o sorriso,ela voltou a tocar.

Começa a dedilhar e a cantar a música Sem Direção.

Quando a neblina dispersar
Na luz amena da manhã
Tantos rumos pra seguir
Um horizonte perto em tudo que eu vejo
Aqui dentro
O sol rodando sem chegar
Ardendo feito aflição
Sinto o tempo se arrastar
A estrada ri de mim no meu desespero sem seus beijos



Nossa isso parece que foi feito para mim.


Refrão
Sem direção, longe de você
Longe demais pra te esquecer
Sem direção, sigo sem pensar
Sempre querendo me encontrar



Sempre querendo encontrá-la e amá-la.

O mesmo clima pelo ar
Trazendo a tarde sem perdão
Sinto a calma me deixar
Minha casa espera bem o sossego do seu peito



Ver seus lindos olhos azuis,seu sorriso.

Passei a minha vida inteira esperando por ela.

E estou finalmente realizando isso.


Refrão
Sem direção, longe de você
Longe demais pra te esquecer
Sem direção, sigo sem pensar
Sempre querendo me encontrar



Abro a porta e ela imediatamente abre os olhos e me encara como se não acreditasse na minha presença.

2 comentários:

Matilde disse...

gostei muito parabens :D
Matilde

- Anne! disse...

OWN!
Tem como ser mais lindo que isso?! Acho que não, eles são tão fofos juntos !
Amando cada cap. e aguardando ansciosamente pelo cap. de sábado!

Beijoos!