Dá-nos a tua opinião sobre o filme Amanhecer-Parte 1 AQUI.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Capítulo 37, New Life

(Desculpem o atraso :D )

Eu e Seth chegamos a casa dos Cullen, todos molhados, foi Esme que nos veio abrir a porta.
- Meus queridos. – Sorriu-nos. – Minha querida, ainda bem que já estás aqui. – Veio até mim e abraçou-me. – Estás toda molhada, é melhor ires tomar um banho quente e vestes qualquer coisa da Nessie. – Dizia, enquanto subíamos as escadas com Seth atrás de nós.
- Primeiro quero ver a Leah. – Pedi.
- Claro, ela está no quarto do Edward. – Respondeu ainda com um sorriso caloroso e maternal.
Subimos as imensas escadas rapidamente e entramos num quarto que estava cheio de pessoas, estas abriram alas e finalmente vi-a, estava com Embry num lado e com Sam noutro, percebi no seu olhar, que aquela situação a deixava nervosa, mal me viu, sorriu.
- Olá. – Dissemos em uníssono e começamos a rir.
- É tão bom, ver as miúdas da minha vida felizes e em segurança. – Suspirou Seth.
Procurei a sua mão atrás de mim e agarrei-a, senti os seus dedos fortes a aperta-la.
- Maninho, estás muito lamechas. – Leah riu-se.
- Cala-te, Leah. – Mandou Seth.
Nesse preciso momento, espilrei.
- Fantástico, agora é a Bia que está doente. – Disse Quil, vindo na minha direcção.
Seth começou também a aproximar-se.
- Eu estou bem. – Espilrei.
- Nota-se. – Disse Jake contendo o riso.
- Deixei-me vê-la. – Falou Carlisle, afastando Quil e Seth.
Tudo ficou em silêncio por uns minutos.
- Ela não está doente. – Disse Carlisle com um sorriso. – Está com alergia a alguma coisa.
- Alergia?!? A quê? – Perguntou Quil, Seth já estava a envolver a minha cintura com o seu braço.
- Não sei, tenho que fazer umas análises. – Respondeu calmamente. – És alérgica a alguma coisa?
- Hum… - Comecei.
- Ela era alérgica a uns tipos de flores. – Acabou Jake, Seth ficou um bocado tenso. – Quil, lembraste? Quando éramos pequenos, brincávamos todos naquela parte da tua casa e ela espilrava sempre por causa das flores? – Riu-se juntamente com Quil.
- Yah, meu. Era hilariante, ela ficava toda vermelha. – Começaram a rir-se mais.
- Que fixe. Riam-se de mim. – Disse amuada, Seth riu-se.
- Ficas engraçada, quando estás amuada. – Sussurrou ao meu ouvido.
- Talvez seja aquele tipo de flor. – Exclamou Carlisle.
Comecei a espilrar muito, olhei para o lado e vi Emment com a jarra de flores que à momentos estava na cómoda.
- Sim, é isto. – Disse decidido Emment, sem tirar a jarra.
- Meu, tira isso. – Seth colou a minha cara no seu quente peito e os espilros pararam.
- Oh. Estava a ser engraçado! – Era a vez de Emment fica amuado.
- Vai-te embora. – Seth apertou-me mais para si.
- Seth, meu querido, é melhor ela ir tomar um banho quente. – Começou Esme.
- Eu estou quente, muito quente, aliás. – Falei de mais.
Ouvi os risos de alguns e senti a minha cara a aquecer.
- Talvez seja melhor... – Murmurou Seth.
- Quero ver o meu avô. – Anunciei.
- Vamos, então. – Quil pegou na minha mão.
- Quando é que a Leah tem alta? – Perguntei a Carlisle.
- Ela já teve alta, apenas não lhe dissemos nada, porque se não, ela queria ir ter convosco e não sabíamos onde estavam, não queríamos desencontros…
- EU TIVE ALTA E ESTOU AQUI?!? – Gritou Leah.
- Eu compreendo, Carlisle. Leah depois falamos. Beijinhos.
Saí da grande casa branca com Quil e Seth, nenhum se transformou.
- Está mesmo tudo bem? – Inquiri.
- Está, prometo. – Quil beijou a minha testa. – Adoro-te pequenina, tive tantas saudades. – Suspirou.
- A sério? E eu a pensar que estavas contente por tirar umas férias de mim? – Ri-me, os olhos deles fixaram-me e ficaram duros e a mão de Seth a apertar-me. – Brincadeira…
- Gostas muito de brincar, gostas…
- Também tive muitas saudades vossas, nem sabem o quanto… - Suspirei.
(…)
Estava à frente da porta, tudo parecia igual, tudo tinha o mesmo cheiro que me lembrava, isto era onde eu pertencia, estas eram as pessoas às quais eu pertencia, voltei a suspirar e entrei.
- Oh meu deus, princesinha, estás aqui. – Foi a vez do meu avô suspirar. Estava muita gente a suspirar ou era impressão minha?
- Tive tantas saudades. – Abracei-o fortemente.
- Nunca mais me faças isto, por favor. – Beijou carinhosamente a minha bochecha.
- Nunca mais. E sinceramente não estou a ver eles a deixarem. – Ri-me e o meu avô riu-se comigo.
Largou-me, foi até ao cabide onde costumava colocar o seu casaco e pegou nele.
- Vais sair? – Eu e Quil perguntamos.
- Vou, vou a casa do Billy, vou ter com ele, com a Sue e com o Charlie. – Respondeu com um sorriso.
- Fazes bem. Eu vou ter com eles, tenho que ir fazer a patrulha…
- Vais fazer a patrulha? Porquê? Há problemas? – Interrompi Quil com medo.
- Não há problema nenhum, mas nós continuamos com as nossas funções, princesa. - Deveria confiar em Seth, mas e se ele estivesse a proteger-me novamente? Ele percebeu. – Juro-te que não há problema nenhum, se houvesse eu próprio ia patrulhar. – O seu rosto endureceu com a minha desconfiança, senti remorsos.
- Bem, meninos, adeus. Portem-se bem. – Quil saiu de casa.
Seth afastou-se em direcção á cozinha, deixei-me ficar pela sala. Sabia que ele só me queria proteger e que a partir do momento em que aconteceu o que aconteceu, ele deixaria de esconder-me coisas, mesmo se fosse para minha segurança.
Fui até à cozinha e vi Seth a olhar para fora da janela, fiquei na porta.
- Eu sei que não confias em mim, mas…
- Amor, eu confio. Eu sei que posso confiar, eu sei que sim. Desculpa aquele momento, mas eu estive a pensar e tu a partir de agora não me vais esconder nada, mesmo que seja supostamente para minha segurança. Eu amo-te, eu confio em ti. – Seth percorreu o caminho que nos separava em três grandes passos.
- Eu nunca me desculparei pelo que te aconteceu, se eu tivesse contado a verdade… - Silenciei-o com um beijo ao qual ele correspondeu.
- Por favor pára de te culpar. Tu não tiveste culpa. – Disse, quando nos separamos para respirar. – Agora anda comigo. – Peguei na sua mão e começamos a subir as escadas para o meu quarto.
Ele deitou-se na minha cama, suspirei, vê-lo ali dava-me uma sensação de prazer e felicidade, ele apenas sorriu.
- O que vamos fazer hoje? – Perguntou animado.
- Primeiro vou tomar banho? – Perguntei, talvez ele se oferecesse para fazer companhia. – Depois vamos a tu casa, para tu tomares banho? – Voltei a perguntar. – Depois vamos a casa dos Cullen. – Disse por fim.
- Princesa, não demores. – Disse sorrindo.
Suspirei e comecei a andar, fui parada quando cheguei à porta.
- Não achas que devemos poupar agua? O aquecimento Global… - Fez cara de chocado. – Podemos juntar dois banhos num só, quer dizer, é só uma teoria, mas….
Interrompi-o com um beijo, correspondeu entusiasmado e pegou em mim, quando me voltou a por no chão, reparei que já estávamos na casa de banho, ele, ainda com os seus lábios nos meus, ligou o chuveiro e entramos. Continuamos a beijar-nos, Seth beijava o meu pescoço e eu sorri, ele reparou.
- Que foi? – Perguntou sorrindo.
- Amo-te. – Disse antes de colar os meus lábios nos seus, novamente.
O meu corpo estava entre a parede fria e o corpo quente dele, as suas mãos que estavam na minha cintura começou a descer até à barriga da perna e puxou-me para cima, continuou a beijar-me, enquanto as suas mãos foram até à minha coxa e começou a tirar-me o vestido.
- Princesa, não eras tu que querias despachar-te para ires a casa dos Cullen? – Perguntou rindo-se.
- Bem, mas nós estamos a saltar um banho. – Disse ofegante.
- Lá nisso tens razão. – Riu-se.
- Não, tu tens razão, temos que nos despachar. – Parei de beija-lo e coloquei champô no cabelo.
Seth beijou a minha testa e começou a esfregar-me o cabelo.
- Eu sei fazer essa parte. – Disse rindo-me.
(…)
Passado algum tempo, eu e Seth resolvemos sair da banheira, fomos eu direcção ao quarto.
- Bem, menina Bianca Ateara, fiquei sem roupa, alguém quis brincar e agora?
- Agora tens que vestir alguma coisa do Quil ou podemos esperar que a tua fique seca…
- Adoraria que fosse a segunda, mas tenho que ir ver como está a minha irmã. – Suspirou.
- Tens razão. Já agora a Emily voltou para a reserva Makah?
- Não sei, desde o dia em que ela falou com o Sam nunca mais soube dela.
- O que será que a Leah vai fazer? – Perguntei a mim própria, mas Seth tinha a audição super apurada.
- Sinceramente não sei, ela consegue sempre surpreender-me.
- A tua irmã faz sempre o oposto do que pensamos. – Disse, enquanto olhava para ele.
Estava a fazer figura de parva, parada no meio do quarto, em frente a ele, olhando-o fixamente, o seu olhar que se dirigia para alguma coisa focou-se em mim.
- Que foi? – Disse sorrindo, percebi que ficara um pouco corado.
Mordi o meu lábio, estava nervosa por um motivo desconhecido. Era muito egoísta querer ficar apenas com ele, neste momento? Era muito egoísta não querer saber do estado de Leah neste momento?
- Princesa? – Chamou-me.
Em vez de responder, estava a ter uma discussão com a minha consciência, o lado razoável dizia que precisava de me arranjar e ir ver como estavam todos que amava, o lado menos razoável dizia para esquecer todos e centrar-me apenas na razão da minha vida que estava mesmo à minha frente agarrando-me pela cintura, chamando-me.
Esqueci o lado razoável e beijei-o.
(O que acharam? Bem, amanhã tentarei postar uma surpresinha :D )

3 comentários:

guidinhapattz disse...

olá o capitulo ta muito fixe!parabens pelo trabalho
bjs guidinha

guidinhapattz disse...

olá o capitulo ta muito fixe!parabens pelo trabalho
bjs guidinha

Anónimo disse...

AMEI!!!! continua
Beijos
Matilde